Protesto de alunos do curso de Reforço de Escolaridade

Revoltados por não estarem recebendo vale-transporte e alimentação, cerca de 500 alunos do curso de Reforço de Escolaridade do Cabo de Santo Agostinho paralisaram a BR-101 durante a manhã desta sexta-feira (18) em protesto contra a prefeitura e ameaçaram ocupar o Palácio de Campo das Princesas, em uma semana, caso até a quinta-feira (25) a questão não tenha sido resolvida.

O prazo de uma semana corresponde ao tempo que teria sido sugerido por representantes da prefeitura, que depois de demorada manifestação também em frente à sede do governo municipal, receberam uma comissão dos alunos. Na reunião com os secretários Welington Steves (Mobilização Social), e Jailson Duarte (Chefe do Gabinete), foi assegurado que teriam uma resposta até a próxima quinta-feira (25), de acordo com a aluna Alcilene Penha.

“Eles – os secretários – adiantaram que só irão receber os vales-transportes os alunos das comunidades mais distantes”, disse Penha, revelando desconfiança. “Não avança nada. Fica sempre na promessa. Os representantes da prefeitura vão até a escola, prometem e não cumprem. As outras prefeituras estão cumprindo. Porque o Cabo não faz o mesmo?”, questionou.

As aulas de reforço são ministradas em uma tenda montada pela prefeitura nas instalações da antiga fábrica CPR, ao lado da Casa de Festejos Asa Branca. De acordo com os manifestantes, pelo edital o programa garante vale-transporte e alimentação para alunos e professores.

PROTESTO – O protesto foi iniciado às 7h30, nas imediações da entrada principal da cidade, ao lado do terminal rodoviário. Por volta das 8h os manifestantes seguiram para a prefeitura. Depois de muitos discursos, uma comissão foi recebida pelos secretários Jailson Duarte e Welington Steves.

Os alunos foram também foram até ao Ministério Público e protocolaram uma ação contra a prefeitura. Se até a próxima semana o problema não for resolvido os alunos pretendem fechar novamente a BR-101 e ocupar a Praça da República, em frente ao Palácio de Campo das Princesas, para garantir o apoio do Governador Eduardo Campos.

Foi o segundo protesto dos alunos do curso de Reforço de Escolaridade. Na quinta-feira da semana passada eles aproveitaram a presença do governador Eduardo Campos na inauguração do Hospital Infantil e cobraram o cumprimento do programa, que segundo alegam, assegura o vale-transporte e a alimentação.

O curso de Reforço de Escolaridade é de responsabilidade da Secretaria estadual de Educação, em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi). A Agência do Trabalho fez o recrutamento e seleção, enquanto as prefeituras devem disponibilizar a infra-estrutura, como salas de aula, transporte e alimentação dos estudantes e professores, como explicam os alunos.

No Cabo eles são 1.400. Recebem aulas de português, matemática e relações interpessoais como forma de melhor se capacitarem para com correr aos postos de trabalho que estão sendo criados no Complexo Industrial e Portuário de Suape. O jornal Tribuna Popular procurou os secretários, seguindo orientação da Secretaria de Imprensa, mas eles não foram localizados pelos telefones.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: