Morge Mirim acusa Lula Cabral de cooptar seus eleitores com dinheiro e cachaça

Morge Mirim acusa Lula Cabral de cooptar seus eleitores com dinheiro e cachaça

O guia eleitoral é o programa de rádio destinado a que os candidatos apresentam suas propostas de governo. Vai ao ar todas as segundas, quarta e sextas-feiras.

JOSÉ AMBRÓSIO
Os atuais principais candidatos à Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho (de acordo com as pesquisas), Lula Cabral (PTB), que tenta a reeleição, e Betinho Gomes (PSDB), evitaram maiores ataques no guia eleitoral, iniciado na quarta-feira (20).

As críticas mais contundentes ficaram por conta de Morge Mirim (PV), que acusa Lula Cabral de dizer que seus eleitores (de Morge) seriam comprados por R$ 10 e uma garrafa de cachaça, e de Antonio Paiva (PSOL), que chama Elias Gomes (pai de Betinho) de coronel “que queria eternizar-se no poder.”

Com menos de três minutos cada um em seus programas de rádio, os dois ex-vereadores Morge Mirim e Antonio Paiva aproveitaram o pouco tempo para atacar Lula Cabral e Betinho Gomes. Sem recorrer a músicas de campanha ou depoimentos de terceiros, eles partiram direto para ao confronto.

CACHAÇA E DINHEIRO – Tendo exercido o mandato de vereador do Cabo de Santo Agostinho por dez anos, o candidato do PV, Morge Mirim, parte para o ataque. Advogado, ele acusa o prefeito-candidato Lula Cabral de cooptar seus eleitores utilizando-se do pode econômico.

“O atual gestor (Lula Cabral) se acha no direito de dizer que o eleitor de Morge Mirim vai ser comprado por R$ 10 e uma garrafa de cachaça”, acusa, para completar: “Isso é um desrespeito a um povo sofrido, porém digno e trabalhador”.

Morge Mirim também mira no palanque do candidato do PSDB, Betinho Gomes, a quem procura atingir através do pai dele, Elias Gomes, que concorre à Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes. Diz que se Lula Cabral representa a “direita radical”, Betinho é o “porta-bandeira do povo de Olinda, que quer voltar sob as ordens de Elias Gomes”, a quem classificou de ambicioso.

CORONEL – O candidato do PSOL diz preocupar-se com a “elevada” taxa de desemprego do município e sobre o prefeito-candidato Lula Cabral, ressalta que “a sua irresponsabilidade frente à empregabilidade do nosso povo não é menor.” Como observa, uma coisa é crescimento econômico e outra bem diferente é o desenvolvimento econômico de uma cidade ou região.

“O prático nisso é que o Cabo, com população predominantemente urbana, nossas periferias constituem, hoje, verdadeiros caldeirões de desempregados”, diz. Antonio Paiva credita essa situação à incompetência, irresponsabilidade ou má-fé “das elites dirigentes”, que segundo ressalta, gostam que o povo seja “excessivamente” dependente do poder político.

Mas, o maior ataque do candidato do PSOL é reservado para o palanque de Betinho Gomes, e a exemplo de Morge Mirim, também utiliza-se do pai dele, Elias Gomes. Segundo Antonio Paiva, o único responsável pela situação que descreve é Elias Gomes, a quem chama de coronel.

“Elias Gomes tinha em mente uma ambição. Queria eternizar-se no poder com os forasteiros. Prova disso é que embora se bandeando, não se descuidou de utilizar o que reputa de instrumento político às suas mãos, seu próprio filho, na tentativa de fazer ressurgir o império do mal, mesmo não ignorando o legado de pobreza que n os deixou”, conclui Antonio Paiva.

Elias Gomes foi prefeito do Cabo de Santo Agostinho por três mandatos (1983/88, 1997/2000 e 2001/2004) e agora concorre à Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: