Refinaria dá início à construção da sua casa de força

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o governador Eduardo Campos assinaram na noite da última sexta-feira (23/01) a ordem de serviço para o início das obras de construção da casa de força que abastecerá a Refinaria Abreu e Lima, em Suape. A solenidade foi realizada em um palanque montado em meio as obras de terraplenagem e contou com a presença de empresários e autoridades, entre elas, o secretário de executivo de Desenvolvimento Econômico do Cabo de Santo Agostinho, Alexandro Gomes, e o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Antes de descer de helicóptero no local do evento, a ministra sobrevoou as obras e foi recepcionada por moradores da região, empresários e funcionários das empresas que estão preparando a área onde serão construídos a refinaria e o Estaleiro Atlântico Sul.
refinaria1

O evento foi realizado à noite para mostrar à ministra que as obras de terraplanagem não param. Em seu discurso, Dilma elogiou o andamento dos trabalhos. “O governador Eduardo Campos fez toda uma política de formação de pessoal, aproveitando a juventude pernambucana, tanto para o estaleiro quanto para a refinaria, e isso é fruto dos investimentos do governo federal e da parceria com o Estado e municípios. E quando se investe em um momento como esse, ele compensa essa queda que houve com a crise e ao mesmo tempo constrói as condições do futuro”, disse.
refinaria2

A Casa de Força será construída pela empresa Alusa, num contrato de R$ 966 milhões. A empresa já escolheu uma área no Cabo de Santo Agostinho para fazer a pré-montagem dos equipamentos. No pico da obra, serão ocupados 2,8 mil empregos. A empresa planeja fazer a seleção de pessoal com auxílio do Prominp, programa de treinamento de mão de obra para a indústria de petróleo e gás. A Casa de Força é uma termelétrica com capacidade para 200 MW, que abastecerá o consumo de energia da refinaria. Ainda serão construídas 16 estações blindadas de energia ao longo da refinaria.

Para Eduardo Campos, o Cabo de Santo Agostinho está na rota dos investimentos de Suape. “Nossa preocupação não se concentra só em tocar as obras de infra-estrutura dentro do Complexo de Suape, mas viabilizar a atração de investimentos para o entorno de Suape a exemplo do Cabo, onde o governo do Estado, em parceria com a Prefeitura do município, vem realizando programas de capacitação da juventude para que eles assumam funções na construção da refinaria e do estaleiro e, consequentemente, em sua operacionalização”, disse, se referindo ao canteiro-escola do Senai no Cabo onde mais de 1.050 operadores cabenses estão sendo formados.

De acordo com Alexandro Gomes, o Cabo localiza-se em uma área privilegiada. “A cidade do Cabo de Santo Agostinho se posiciona (geograficamente falando) de uma forma bastante interessante, pois para chegar em Suape tem que passar por lá. Por esse motivo as muitas empresas que estão construindo a refinaria e o estaleiro estão procurando a cidade para se instalar. Portanto, uma de nossas medidas em parceria com a Agência de Desenvolvimento do Estado está sendo a viabilização de novas áreas em nosso distrito industrial para receber cada vez mais essas empresas, pois a vinda delas pra cá significa mais emprego para os nossos jovens”, afirma.

Texto: Chárleston Noronha – estagiário da Secom
Fotos: João Barbosa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: