Fantasma do PC faria entrega quentinhas na casa da Dinda

Fantasma do PC faria entrega quentinhas na casa da Dinda

È só falta o Senador dizer que quem entrega as quentinhas na casa da dinda e o Fantasma de PC Farias

Fantasma

Além de usar a verba indenizatória de R$ 15 mil para bancar a segurança privada da Casa da Dinda, o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) também a utiliza para comprar refeições que são levadas para a residência, localizada em área nobre da capital federal.

É do Boka Loka, pequeno e simples restaurante no centro do Paranoá, cidade-satélite de Brasília, que Collor compra as quentinhas. Do portão da Casa da Dinda até o estabelecimento, são dez minutos de carro.

Ontem, por exemplo, o Boka Loka, segundo disse à Folha uma funcionária, iria levar para a Dinda 20 refeições. “É variado. Tem dia que é mais, tem dia que é menos”, disse.

A reportagem ligou para o celular do ex-presidente, que desligou ao ser informado do assunto, dizendo que não o comentaria.

Segundo informações disponibilizadas na página do Senado referente a verba indenizatória, nos meses de abril e maio -período em que é possível identificar as empresas nas quais os senadores usaram a verba- Collor gastou no Boka Loka R$ 4.830. Como cada quentinha no restaurante custa R$ 7, o dinheiro daria para comprar 690 marmitas.

Ao jornal “O Estado de S. Paulo” a assessoria de Collor informou que o restaurante é utilizado por várias pessoas da equipe do senador, que também já almoçou lá.

Na edição de ontem, a Folha revelou que Collor usa parte de sua verba indenizatória também para contratar uma empresa de segurança para a Casa da Dinda -o senador, que mora em um apartamento funcional do Senado, só a frequenta nos fins de semana e feriados.

A Casa da Dinda ficou nacionalmente conhecida quando o então presidente enfrentou o processo de impeachment que culminou com sua renúncia, em dezembro de 1992.

Na época, constatou-se que os jardins da casa foram reformados com verba de contas-fantasmas do tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias, morto em 1996.

A portaria que regulamenta o uso da verba indenizatória (nº 2, de 2003) não prevê o uso do dinheiro para contratar segurança para a casa dos senadores nem para ressarcir gastos de caráter pessoal.


Get your own Chat Box! Go Large!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: