Cozinha comunitária Cadê as 500 refeições por dia, ao preço de R$ 1,99

Cozinha comunitária

Cadê as 500 refeições por dia, ao preço de R$ 1,99

OUTRA BOMBA  NO COLO DO ATUAL PREFEITO

Por: Moura

Cozinha comunitária 1

Sim meus caros amigos o Portal Cabo foi buscar e investigar esta Cozinha comunitária que era para estar dando refeições ao preço de R$ 1,99 a mais de 3 anos na data de  21/09/2006  as 16h40 o site da Prefeitura da á matéria como certa Alimentação saudável e barata será oferecida no Cabo através das Cozinhas Comunitárias onde se relatava á “De início serão implantadas duas cozinhas comunitárias, nos bairros da Charneca e Pontezinha, que irão funcionar como mini-restaurantes, oferecendo cerca de 500 refeições por dia ao preço máximo de R$ 1,99. O valor é estipulado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), idealizador do programa, desenvolvido em parceria com o Governo Municipal. O programa dará prioridade ao atendimento de crianças com até 14 anos, famílias em estado de desnutrição, idosos, gestantes ou mulheres em resguardo, portadores de deficiência, desempregados e trabalhadores de baixa renda”.

Bom até ai tudo bem, fomos atrás das tais cozinhas fomos ao bairro da charneca onde ninguém sabia onde se localizava esta tal cozinha pergunta aqui  e acolá obtivemos o endereços fomos lá conferir in loco mais qual foi nosso espanto ninguém da rua sabia que ali tinha uma cozinha um morador local que não quis se identificar disse que só viu uma única vez ser descarregado tais matérias para a implantação da mesma mas parece que foram “roubados ou retirados do local” disse um dos guardar que toma conta do local ao morador

Tentamos tirar uma foto do local, mas como já era noite resolvemos voltar no outro dia, mas qual foi nossa surpresa o local esta sendo limpo e retirarão á placa da inauguração da cozinha bom a todo custo tentamos tirar foto do local o que foi proibido por um segurança do local fato lamentável, pois o mesmo disse que poderia perder o emprego

Não paramos por ai fomos atrás da cozinha em pontezinha e neca de quitibiriba nada mesmo o que encontramos foi um projeto de uma padaria comunitária que faz  3 anos que esta paradas as obras

IMAG1628IMAG1631

Fomos pesquisar no próprio site da Prefeitura para ver se tinha mais algo a respeito e encontramos que na data 22/09/2006 as 17h05 foi implantado Conselho Municipal de Segurança Alimentar onde a matéria em si falava novamente da Cozinha Comunitária veja o texto: Na manhã da última sexta-feira (22/09), foi realizada, no gabinete da prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, a posse do Conselho Municipal de Segurança Alimentar. A instituição deverá começar a funcionar na Casa dos Conselhos, dentro de no máximo uma semana. Antes disso, será realizada uma eleição para selecionar os 12 conselheiros integrantes, que serão quatro governamentais e oito da sociedade civil. O Conselho regulará o funcionamento das Cozinhas Comunitárias, que atenderá famílias carentes do município.

Conselho de alimentação

De início serão implantadas duas cozinhas comunitárias, nos bairros da Charneca e Pontezinha, que irão funcionar como mini-restaurantes, oferecendo cerca de 500 refeições por dia, ao preço máximo de R$ 1,99. O valor é estipulado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), idealizador do programa, desenvolvido em parceria com o Governo Municipal. O programa dará prioridade ao atendimento de crianças com até 14 anos, famílias em estado de desnutrição, idosos, gestantes ou mulheres em resguardo, portadores de deficiência, desempregados e trabalhadores de baixa renda.

Segundo a secretária de Programas Sociais, Edna Gomes, estes restaurantes atenderão pessoas em situação de vulnerabilidade social e contarão com o apoio das Secretarias de Saúde, Educação e Desenvolvimento Rural, além de Secretaria de Programas Sociais. “É necessário que o município tenha um conselho para implantar de forma correta e satisfatória o projeto de Cozinhas Comunitárias”, reforçou a secretária de Programas Sociais do município, Edna Gomes.

Agora vamos ao outros fatos, no Site MDS obtivemos alguns informes:

Á Prefeitura local formalizou um convenio com o órgão acima e na data de Na última quarta-feira (23/04 2008) tiveram início, em Cabo de Santo Agostinho (PE), as chamadas mesas técnicas. Nestas capacitações, integrantes da SESAN apresentam, aos representantes das Prefeituras selecionadas, os parâmetros técnicos dos Programas, juntamente com os prazos e as documentações necessárias a formalização dos instrumentos de repasse (contratos de repasse e/ou convênios). O objetivo destas reuniões, que ocorrerão até o mês de maio, é orientar os gestores municipais selecionados pelos editais públicos n.º 04/2008, 06/2008, 07/2008 e 08/2008.

Os editais n.º 04/2008, 06/2008 e 07/2008 prevêem a implantação e/ou modernização de equipamentos públicos como Bancos de Alimentos, Restaurantes Populares e Cozinhas Comunitárias. O MDS disponibilizará um total de R$ 10 milhões para cinco municípios implantarem Restaurantes Populares, 13 municípios inaugurarem Cozinhas Comunitárias e quatro municípios implantarem Banco de Alimentos

O que fala o Programa

As Cozinhas Comunitárias caracterizam-se como Unidades de Alimentação e Nutrição (UAN), constituindo-se em um equipamento público, com a finalidade de produzir e distribuir refeições saudáveis, além de ser uma estratégia de inclusão social produtiva, de fortalecimento da ação coletiva e da identidade comunitária. O público alvo deverá ser constituído, prioritariamente, por pessoas em situação de insegurança alimentar grave, indicadas, preferencialmente, pelos Centros de Referência em Assistência Social – CRAS. As Cozinhas Comunitárias podem ser implantadas em todo o território nacional, com preferência às áreas com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), municípios do semi-árido e regiões metropolitanas. Após a implantação a administração da Unidade, bem como os recursos materiais necessários à manutenção do serviço de produção (gêneros alimentícios, material de limpeza, taxas administrativas e outros), deverão ser custeados pelo Governo Estadual, Distrital ou Municipal, que poderão estabelecer parcerias para auxiliar na operacionalização da Cozinha podendo ser assumida, por exemplo, por Organizações Comunitárias inseridas em programas Estaduais, Distritais ou Municipais de geração de trabalho e renda, bem como por Entidades Sociais. No entanto, os instrumentos de repasse de recursos (convênios/contratos de repasse) serão firmados exclusivamente com os Entes Federativos.

O programa tem como objetivo a implantação e modernização de Unidades com produção mínima de 100 refeições por dia e funcionamento de – no mínimo – 05 dias por semana, respeitando as diferenças regionais, proporcionando, à população que se encontra vulnerável socioeconomicamente e em situação de insegurança alimentar e nutricional, uma alimentação saborosa, saudável, diversificada, econômica, rica em nutrientes e nutricionalmente balanceadas, oriundas de processos seguros e vendidas a preços acessíveis, tudo isso oferecido em um ambiente confortável e seguro. Recomenda-se a integração das Cozinhas Comunitárias com o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, com ações de educação alimentar, capacitação gerencial, distribuição de alimentos à população carente, dentre outras.

Os Governos Estadual, Distrital ou Municipal, devem atender aos critérios técnicos apresentados em Edital de Seleção Pública lançados periodicamente no Diário Oficial da União. As propostas deverão ser encaminhadas por meio do SICONV, desde que sejam atendidas na totalidade e de forma irrestrita e irretratável as condições apresentadas no Edital ora publicado, com atenção a dotação orçamentária e aos recursos financeiros disponíveis, além de ter disponibilidade de imóvel e apresentar contrapartida nos termos da LDO para o orçamento respectivo. É recomendável que os Proponentes consultem regularmente as páginas Web deste ministério, as quais fornecem, ainda, acesso ao “Manual de Implantação do Programa”, documento de extrema importância quando da elaboração do Projeto.

O MDS apóia recursos para:

– Construção, ampliação, reforma e conclusão de instalações prediais;

– Aquisição de equipamentos e material permanente e utensílios novos.

O que são as Cozinhas Comunitárias?

As Cozinhas Comunitárias são Unidades de Alimentação e Nutrição com produção mínima de 200 refeições por dia, e com funcionamento de no mínimo 05 dias por semana. Sua operacionalização pode ser assumida por Organizações Comunitárias inseridas em programas municipais e/ou estaduais de geração de trabalho e renda.

Com quem são firmados os convênios?

Os convênios são firmados exclusivamente com os Entes Federativos.

Qual o objetivo das Cozinhas Comunitárias?

Incentivar e apoiar a produção de refeições em ambientes adequados, com qualidade, de acordo a uma alimentação saudável e uma vida digna, respeitando as diferenças regionais proporcionando, assim, às camadas mais vulneráveis à fome o acesso a uma alimentação saborosa, saudável, diversificada, econômica e rica em nutrientes.

Qual é o público-alvo das Cozinhas Comunitárias?

Grupos sociais em situação de insegurança alimentar e nutricional, como por exemplo, gestantes desnutridas, crianças até 6 anos de idade, estudantes, desempregados, trabalhadores formais e informais de baixa renda, idosos e pessoas situadas abaixo da linha da pobreza.

Como funciona o projeto Cozinhas Comunitárias?

O Projeto Cozinhas Comunitárias será executado sob a forma de transferência voluntária de recursos não reembolsáveis, repassados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome aos órgãos ou entidades da administração direta ou indireta dos governos estaduais, municipais ou do Distrito Federal, por meio da celebração de convênio, desde que cumpridas todas as exigências estabelecidas no Edital de Seleção Pública, no Manual de Implantação de Cozinhas Comunitárias e respeitada a legislação em vigor, estando ainda condicionado à existência de dotações orçamentárias e recursos financeiros.

Em busca de mais informes encontramos na:

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO

SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

RELATÓRIO Nº : 175322

UCI 170978 : COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA  DA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

EXERCÍCIO  : 2005/2006

PROCESSO Nº : 71000.001335/2006-97

UNIDADE AUDITADA  : SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E

NUTRICIONAL – SESAN/MDS

CÓDIGO : 550008

CIDADE : BRASÍLIA

O Cabo de Santo Agostinho era citado

ANÁLISE DA JUSTIFICATIVA:

Em que pese a Unidade haver apresentado justificativas em relação

à constatação, não foi esclarecida de forma específica, no Ofício enviado em resposta à Solicitação de Auditoria, a questão referente aos convênios na situação “A Aprovar”, motivo por que ratificamos o ponto.

RECOMENDAÇÃO:

Recomendamos à Unidade que adote medidas eficazes visando à emissão tempestiva dos pareceres técnico e financeiro sobre as prestações de contas apresentadas pelos convenentes, a fim de cumprir o prazo de 60 dias estabelecidos no art. 31 da IN/STN nº 01/97.

7.1.2 – ASSUNTO – PRESTAÇÃO DE CONTAS

7.1.2.1 – CONSTATAÇÃO:

Em análise aos registros na conta “A Comprovar”, no cadastro de convênios do SIAFI, cuja vigência se encerrou há mais de 60 dias, observamos a falta de cumprimento dos prazos regulamentares definidos pela IN/STN nº1/97, para a apresentação da prestação de contas de convênio, tendo em vista que a respectiva vigência estava expirada no Cadastro de Convênios do SIAFI,conforme demonstrado no quadro a seguir:

Convênio 11294402000162

PREFEITURA MUNICIPAL DO CABO DE SANTO AGOSTINHO

Valor Firmado: R$ 44.630,02  Valor a comprovar R$ 44.630,02

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) através da sua ouvidoria usando da sua  à atuação na defesa dos direitos e na promoção da cidadania, aprimorando o processo de prestação do serviço público, mediante a atenção às manifestações dos cidadãos e cidadãs. Através da sua pessoa Rejane Maria de Oliveira ficou de nos repassar tais informes a respeito dos convênios firmados e logo mais estaremos colocando aqui no PORTAL CABO para que possamos cobrar junto ao Ministério Publico as devidas Medidas Cabíveis

Bom se Fome for nosso lema, já sabemos a quem reclamar, pois nestes 3 anos da implantação desta cozinha que não existe, deixou de fazer 432.000 refeições a um preço de R$ 1.99 que daria um montante de R$859.680,00

Bom pra quem sabe o que é fome parece muito dinheiro, mas para quem tem muito como o atual Prefeito isto não é nada

cartão vermelhoMais um Cartão Pra o Atual Prefeito


Comments
4 Responses to “Cozinha comunitária Cadê as 500 refeições por dia, ao preço de R$ 1,99”
  1. Silvio Cavalcante disse:

    Essa ideia de cozinha comunitária amigos é muito boa, porém, em um governo sério e compromissado com o povo, que ao que vemos ao longo desses nove mêses, é um governo cheio de maracutaias, licitações fraudulentas, seleção simplificada para os apadrinhados, descaso na saúde, na educação, no esporte, no lazer, no social como um todo. Eis mais uma prova deste descaso conforme o amigo Moura através do site portalcabo vém denunciar. Parabéns Moura, você está prestando um grande serviço ao povo Cabense. Um abraço Silvio Cavalcante.

  2. yourbig.ru disse:

    For someone new with little experience?

  3. chico da charneca disse:

    Enquanto acontece algo desta natureza,dinheiro pra lá ,dinheiro pra cá , bomba e mais bomba e a cozinha comunitária como é que fica,ou vai continuar com esta falta de vergonha, ESTA COZINHA FICA NA ENTRADA DO CORREGO DO MORCEGO, eu gostaria muito de poder acorda pela manha e não ter o pensamento voltado para as necessidades deste municipio, na verdade a fartura é maior que as necessidades, mais no entanto, os papeis se inverte, como na maioria das vezes, sobra necessidades,podemos ver nos arredores nos bairros e muitas vezes até no centro bem nas barbas de quem dirige os cargos públicos municipais,secretárias que pousam de nomes bonitos, que muitas vezes misturam as idéias ou pensamentos de quem por elas passam, como por exemplo se você leito passar em frente a praça do jacaré, você se encontra com que eu chamo de desencontro social, lá esta o prédio do antigo sesi onde funciona uma destes desmandos, esta lá podendo ser visto, pessoas morrendo sem assistência nem uma vitimas do alcoolismo, mulheres esmolando uma passagem muitas vazes para levar seus filhos para hospitais em recife, pessoas passando por varias necessidades até na maioria das vezes fome, em busca de alimentos perdem as suas indentidades de cidadões que é o bem maior que o ser humano pode ter, até isto lhe é tirado, onde é que está os que devia olhar para os menos favorecidos deste municipio,cabo de sto agostinho, se você poder chegar até a charneca no corrego do morcego lá vai está casebres, barracos pendurados morros abaixo meio a falta de carpinação e meio ao lixo, pois lá não tem coleta como devia ter, a situação das crianças é doloroza tem suas pernas perdidas por mosquitos e outros animais perssoentos nosivo a saúde humana, mais o que me doe é que em ano politico não vai faltar candidato lá muito embora depois saiam lavando suas mãos desenfectadas com alcool para não pega doenças que muitas vezes chegou verbas destinadas para cuidar de males e que vezes outra por eles foram desviadas para outros fins não conhecido, também para não pegar pobreza,mal que este povo não conhece, e teme conhecer por falta de coragem, nunca foi vergonhoso ser pobre, vergonha é tirar dos pobres.

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] Informa ões sobre o município de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco. fique por dentro clique aqui. Fonte: […]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: