Cabo de Santo Agostinho e Africa ligado a milhões de anos

Voce Sabia que a região que um dia já esteve colada à áfrica hoje faz parte do parque metropolitano do Cabo de Santo Agostinho onde ficam as praias de Calhetas e Gaibu. A costa é formada por rochas de granito, que têm a mesma idade geológica das que existem na costa africana.

Veja mais

Relevo do planeta foi esculpido ao longo de bilhões de anos, explica professor
A formação das paisagens da terra é o tema da aula desta sexta do Projeto Educação; movimento tectônico explica voçorocas, vulcões, terremotos, maremotos e tsunamis

Da Redação do pe360graus.com

Voçorocas, vulcões, terremotos, maremotos e tsunamis – a formação do relevo do planeta terra é o tema da aula de Geografia do professor Vínicius Ribeiro, nesta sexta-feira (2), no Projeto Educação. Ele foi ao Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, dar exemplos de formas de relevo.

Cabo e africa

Para a geografia, não basta admirar a paisagem. É preciso conhecer as forças que vêm “esculpindo” o relevo da Terra ao longo de quatro bilhões de anos. Uma delas é a chuva que provoca erosões como estas, chamadas de voçorocas. “A água da chuva, como não consegue penetrar no subsolo, ainda mais em uma região de declive, desce provocando erosão”, explica o professor Vinícius Ribeiro (foto 1).

Os ventos e as ondas do mar provocam outros tipos de erosão. “Um bloco rochoso no continente, ao se encontrar com oceano, o impacto da água provoca um processo lento de erosão na estrutura rochosa, que a gente chama de falésias”, afirma o professor. “Também forma esculturas, que a gente chama de inselbergs ou morros testemunhos, típicas do semiárido e do Sertão de Pernambuco”.

Outras forças vêm de dentro do planeta. A crosta terrestre, com cerca de 35 quilômetros de espessura, é dividida em porções, chamadas de placas tectônicas. Existem correntes de magma que movimentam essas placas de várias maneiras dando origens a montanhas ou vulcões ou provocando terremotos e maremotos.

“A placa do pacífico, no caso da América do Sul, está mergulhando no bloco continental e formando a cordilheira dos Andes”, explica Vinícius Ribeiro. “Quando as placas colidem, há um acúmulo de energia muito intenso, e qualquer movimento mais brusco libera essa energia. No caso brasileiro, as chances de tremor forte são mais remotas, porque estamos nos afastando do continente. Onde existem maremotos é também região de colisão de placas”.

Foi o geólogo alemão Alfred Wegener quem descobriu, em 1912, que as placas tectônicas estão em constante movimento. Ele percebeu que os cinco continentes poderiam ser encaixados um ao outro, como peças de um quebra-cabeças, uma das evidências de que as partes da terra foram se afastando umas das outras ao longo de milhões de anos.

De acordo com a teoria da deriva dos continentes esta região, no Cabo de Santo Agostinho foi o último ponto de ligação entre a África e a América. A separação dos continentes na região começou há 102 milhões de anos e continua até hoje. Os dois continentes se distanciam, em média, cinco centímetros por ano.

A região que um dia já esteve colada à áfrica hoje faz parte do parque metropolitano do Cabo de Santo Agostinho onde ficam as praias de Calhetas e Gaibu. A costa é formada por rochas de granito, que têm a mesma idade geológica das que existem na costa africana.

Anúncios
Comments
One Response to “Cabo de Santo Agostinho e Africa ligado a milhões de anos”
  1. chico da charneca disse:

    Falar cientificamente como o profesor acima citado falou, so me restá acreditar pois não sou geologo, mais o asunto me deixo curioso, saber que todos os anos os continentes tembem sitados ficam distantes cinco sentimetros, isto é muito interesante e até genial.
    MAIS , o cabo de sto agostinho falando em relação ao progresso continuua muito mais perto da Africá do que muita pensa, se analizar o colegio paulo renato de sena bairro são francisco, postos de saúde da rua 27 ps rua 01 localizado na charneca, não tem diferensa do que agente ver nos noticiario de televizão, escolas e postos de saúde do cabo são iguais aos de ANGOLA , CONGO, e outros na Africá, sem contar que este municipio e rico e a Africá dispença comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: