Suape pode sediar fábrica holandesa de guindastes

Suape pode sediar fábrica holandesa de guindastes

Empresa Huisman planeja investir US$ 120 milhões em uma unidade no Brasil, de olho nas descobertas na camada pré-sal
Micheline Batista // michelinebatista.pe@dabr.com.br

Pernambuco poderá sediar uma fábrica de guindastes de plataformas e torres de perfuração, para aplicação na indústria de petróleo e gás. De olho nas descobertas na camada pré-sal, a holandesa Huisman planeja a implantação de uma unidade no Brasil e estuda algumas possibilidades de localização. O investimento está estimado em US$ 120 milhões (cerca de R$ 208,8 milhões), com previsão de gerar até 500 empregos diretos. Além de Pernambuco, estão no páreo Espírito Santo, Paraná, talvez São Paulo e Rio de Janeiro.

A definição deve sair até o fim do ano, mas acredita-se que o estado sai na frente por causa dos incentivos fiscais e da facilidade na obtenção do licenciamento ambiental. “No momento tudo é incerto. Estamos avaliando custos e benefícios. Vamos decidir até o fim do ano para começar a produzir logo em 2010”, afirmou ontem o diretor da Huisman no Brasil, David Roodenburg, durante o Pernambuco Business, evento que continua hoje no JCPM Trade Center.

Segundoele, os estados do Sul e Sudeste têm a vantagem de serem próximos dos campos de exploração do pré-sal. Entretanto, a disponibilidade de área no Complexo Industrial Portuário de Suape e a promessa feita pelo governo do estado de agilizar o licenciamento ambiental no prazo de um ano fazem a empresa considerar a opção por Pernambuco. “Licenciamento é hoje a principal preocupação de qualquer empresa”, ponderou Roodenburg.

Na parte dos incentivos fiscais, pesam a favor de Pernambuco o desconto de até 75% no Imposto de Renda, viabilizado através da Sudene pelo período de dez anos, e de 75% de crédito presumido do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), pelo prazo de 12 anos, podendo ser renovado por igual período.

A Huisman procura uma área de 24 hectares, com acesso direto ao mar, para instalar a nova fábrica. Como é a provável vencedora de um dos pacotes de 14 guindastes licitados pela Petrobras, tendo o prazo 18 meses para entregá-los, a empresa pretende arrendar uma área provisória, ao ladoda nova unidade, enquanto a estrutura não fica pronta.

Os guindastes encomendados pela Petrobras, de 15 a 25 toneladas, terão que ser construídos com um mínimo de 60% de conteúdo local, o que aumenta as chances de inserção das empresas pernambucanas. A Huisman não tem interesse de fabricar, no Brasil, navios ou plataformas. No mundo, a empresa mantém operações na Holanda, China, República Tcheca, Estados Unidos e Cingapura. Para se ter uma ideia, a planta chinesa tem capacidade para produzir mais de 20 superguindastes para plataformas por ano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: