O que esta em jogo na eleição de Dilma Rousseff

O que esta em jogo na eleição de

Dilma Rousseff

Desfigurar a democracia representativa, o poder judiciário, o direito de propriedade, a religiosidade popular, a cultura nacional, a família e a liberdade de imprensa.

E mais, pretende liberar o aborto, mudar para pior o Estatuto do Índio, autorizar a adoção de filhos por casais homossexuais, valorizar a prostituição e se intrometer em temas que vão da transgenia à nanotecnologia e do financiamento público das campanhas eleitorais à taxação de grandes fortunas. Tudo isso atrás do Programa Nacional de Direitos Humanos

Será que o eleitorado esta apar disso tudo? Sabe o que é PNDH-3

Sai a busca aqui no Cabo para saber quantas pessoas ouviram o sabe o que é PNDH-3

Através de um grupo de jovens estudantes esta enquete foi elaborada em suas comunidades totalizando 2.818 pessoas entrevistadas

Dados conseguidos:

Pergunta 1.Você sabe o que é PNDH-3

Resposta 1. Não sabem 2.408

Resposta 2.Sabem o que é 210 votos

Resposta 3 já ouviu falar 200 votos

——————————————————————-

Pergunta 2. Você sabe o que é PNDH-3 (com Resposta induzida)

Resposta 1. Nome de Remédio 1.420 votos

Resposta 2. Nome de uma estação espacial 720 votos

Resposta 3 Nome de Fertilizante 478 votos

Resposta 4 Nome do Programa Nacional de Direitos Humanos 200 votos

Isto ficou demonstrado que ninguém sabe o que venha ser PNDH-3

Voltando para minha inquietação

Veja o que diz o maior jurista Dr. Ives Gandra


Já este internauta convida todos para se manifestar contra esta Ditadura.


Esta afronta comandada pela mãe do PAC com uma forma radical de afrontar nossa democracia me deixa muito preocupado, pois o eleitorado não sabe o que esta por de traz deste jogo político de perpetuação de poder, praticado agora por quem tanto defendeu a democracia, ora seria a maior ironia se a rasteira fosse dada a golpe de foice nua alusão aos enforcados da Ditabranda .

Não posso aceitar que tais contextos passem despercebidos desta minoria, que foi fomentada através programas sociais, imposto por estes algozes na pretensão de esconder sua vil imagem

Então o que cabe a nos detentores da livre informação? Educar, esclarecer, fomentar debates, para que o Povo Brasileiro não seja enganado, por estes que em outrora promulgava a bandeira da democracia e hoje tenta sepultá-la na maior cara de pau que já vi em minha vida, sobre o pretexto do bem comum, mas á bem de quem, só se for deles mesmo.

Comments
4 Responses to “O que esta em jogo na eleição de Dilma Rousseff”
  1. Alberto Figueiredo disse:

    Quando se trata da minha liberdade, dos meus direitos e da minha pátria, sou radical.
    dilma é uma terrorista, assassina, ladra, juntos, ela e sua quadrilha vão tentar levar o Brasil a uma nova Cuba, para mim o nome dilma é palavrão. Quem defende dilma (assim se escreve o nome do que não presta), entrega o Brasil.
    Para votar nessa coisa fabricada pelo FSP, é melhor colocar o cachorro do homem do miúdo na cadeira do planalto, a diferença será pouca.
    Tudo que vem do PT ou é ou está ou ficará podre.
    Sei que ainda existem Petistas sonhadores e honrado, mais vosso partido perdeu o rumo.
    Criou, sustentou, manteve, deram forças um animal feroz e insaciável que o engoliu.
    Não digo com isso que perderam o poder, não de forma alguma, ainda o tem mais sustentado por mentiras, falcatruas, roubo, assassinatos, manipulações.

  2. José luiz sobrinho disse:

    PNDH 3: “só ampliação do debate pode vencer disputa ideológica”

    Em palestra realizada em São Paulo, Ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos afirmou que a polêmica em torno do terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos revelou a permanência de um forte pensamento reacionário no país. Para ele, somente a mobilização em torno da defesa dos direitos humanos pode garantir a efetiva criação da Comissão da Verdade. “Que as pessoas sigam defendendo o golpe de 64 faz parte de uma sociedade democrática. Não dá para proibir que pensem que o regime foi bom. O que não podemos aceitar é a conivência com os crimes, com o ocultamento de cadáveres, com a tortura sistemática”

    Bia Barbosa

    Visivelmente emocionado, o ministro Paulo Vannuchi, da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH), participou na noite de segunda-feira (22), em São Paulo, de um debate promovido pela Casa da Cidade sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos-3. Depois de uma explanação de mais de uma hora, onde relatou em detalhes todo o processo de construção e negociação do PNDH-3 com a sociedade civil e dentro do governo federal, Vannuchi discutiu com um auditório lotado os principais desafios para a implementação do Programa no próximo período. E afirmou que a disputa ideológica em torno do Programa só será vencida junto à sociedade brasileira se o debate for ampliado fortemente Brasil afora, já que ainda persiste no país um forte pensamento conservador, não superado nesses mais de 21 anos de constituição democrática.

    “Nunca desconfiei que haveria tamanha pancadaria. É possível que isso tenha acontecido porque as primeiras críticas vieram de dentro do governo [em referência ao ministro da Defesa Nelson Jobim]. Aí a oposição aproveitou e colocou uma cunha na discussão. Também é possível que alguns trechos do programa precisassem de redações melhores. Mas fiquei triste e surpreso de pensar que havia um pensamento conservador reacionário no país.”, disse Vannuchi. “Que as pessoas sigam defendendo o golpe de 64 faz parte de uma sociedade democrática. Não dá para proibir que pensem que o regime foi bom. Mas o que não podemos aceitar é a conivência com os crimes, com o ocultamento de cadáveres, com a tortura sistemática”, completou.

    Na avaliação do ministro, mesmo com a formação do grupo de trabalho que enviará ao Congresso Nacional o projeto de lei para criar a Comissão da Verdade, não há nenhuma garantia de que o órgão seja efetivamente criado. “Somente se tivermos capacidade e energia para ampliar os debates vai sair uma Comissão da Verdade”, afirmou.

    Nesta semana, os integrantes do GT participarão de uma oficina com especialistas da ONU e da OEA (Organização dos Estados Americanos) para discutir a base constitucional da Comissão da Verdade e conhecer experiências de outros países que passaram por processos de reparação. Vannuchi também foi convidado para debater o tema em cinco comissões do Senado e na Câmara dos Deputados. “Vou passar março e abril exercitando paciência e serenidade. Mas já há um movimento permanente de defesa do Programa. Das 521 ações propostas, as críticas não ultrapassam 21. Então há um amplo consenso que mostra que temos que seguir adiante”, acredita.

    Entre as estratégias para o debate público sobre o Programa de Direitos Humanos está a adoção de uma linha de não criticar o conjunto das Forças Armadas, e sim defender a investigação do máximo possível de atores envolvidos na ditadura militar, e adotar falas positivas em relação à corporação militar.

    “Achar que as forças armadas pensam só o que pensa o Clube Militar é um erro. No Clube está o pessoal de pijama, que participou diretamente daquilo tudo. Por outro lado, em 21 anos, eles não se envolveram em nenhum movimento golpista. Então me preocupo em sinalizar uma mão estendida, acreditando que o país tem que reconhecer suas forças armadas, mas que para isso é necessário abrir os arquivos da ditadura e pedir perdão”, acredita Vannuchi. “Com a polêmica da Comissão da Verdade, acabamos desnudando um problema mais importante: qual a transição que as forças armadas fizeram para um programa democrático em nosso país? Agora em março, por exemplo, se forma na escola de Agulhas Negras a turma General Emílio Garrastazu Médici. Este é um problema da democracia do Brasil que esta crise ajudou a ficar mais claro”, disse.

    Na avaliação de Paulo Vannuchi, nas últimas décadas a esquerda não percebeu que as forças armadas são um tema muito importante para ficar apenas nas mãos dos militares. É algo que precisa envolver sociólogos, historiadores, profissionais de relações internacionais, acredita. “Por isso, é hora de ter humildade para reconhecer erros e serenidade para assegurar uma dose dez vezes maior de firmeza e determinação para defender o Programa, que é algo bom para o país”.

    Mudanças em curso
    Para além da criação da Comissão da Verdade, entre os erros que o ministro pretende corrigir estão temas como a legalização do aborto e a proibição de símbolos religiosos em prédios públicos. Também esta semana Vannuchi se reunirá com o movimento de mulheres para construir um acordo em torno da redação do aborto. A idéia é aprovar um texto que amplie as possibilidades de exercício do abortamento legal, considerando a questão da saúde pública, mas sem passar pela “autonomia da mulher para decidir sobre seu próprio corpo”, já que aí há uma discordância do próprio Presidente Lula. Sobre a questão dos símbolos religiosos, o ministro acredita que a diretriz do Programa que pretende impedir símbolos religiosos em prédios públicos foi descuidada e deve ser alterada.

    Já a crítica dos ruralistas ao PNDH-3 é tida como “desproporcional e mentirosa”. “É só ler o Programa. Queremos a garantia que, nos processo de reintegração de posse, ou seja, depois que o direito à propriedade já foi defendido na Justiça, que não haja mortes. O que dissemos é que o direito à propriedade não pode ser absoluto, pairando sobre o direito à vida”, explicou. “A questão da união civil homossexual e da adoção por casais homoafetivos também é uma posição da qual não se pode permitir recuo. Estamos falando de um preconceito que, daqui 20 anos, será visto como piada”, afirmou.

    Com esta posição, tudo leva a crer que a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil manterá suas críticas ao PNDH-3, o que não parece preocupar Vannuchi. “A CNBB não vai me apoiar de jeito nenhum. Esta não é a igreja de Dom Paulo Evaristo Arns. É uma igreja muito parecida com a de 1964. Alguns bispos chegaram a fazer uma nota odiosa dizendo que o Programa “ameaça retomar conflitos sociais que a Lei de Anistia apagou”. Foram contra até a busca dos corpos dos desaparecidos, um direito sagrado que foi imortalizado na imagem de Maria, da Pietá, carregando seu filho”, criticou.

    A idéia, por ora, é fazer o menor número de alterações possíveis no Programa. Uma versão sinalizada pelo próprio ministro com os pontos polêmicos já está nas mãos do Presidente Lula, que deve debater o tema nos próprios dias com Vannuchi. Somente na semana passada Lula se posicionou de forma mais contundente em defesa do PNDH-3 e da permanência do ministro em seu governo, depois de todo o conflito criado entre a Secretaria Especial de Direitos Humanos, o Ministério da Defesa e o Ministério da Agricultura.

    “O apoio do governo demorou. Foi muito tempo apanhando sozinho. Hoje é o primeiro dia em que falo sobre este tema depois de uma legitimação pública do Programa, que não veio do governo. Recebi o apoio institucional do PT, que em seu congresso aprovou por unanimidade uma moção de apoio incondicional ao PNDH-3”, declarou.

    No dia 8 de março, a SEDH lançará o terceiro exemplar de uma coletânea sobre o direito à memória, contando histórias das torturas e violações de direitos das mulheres durante a ditadura militar. Já foram lançados livros sobre as violações contra os negros e as crianças.

    “Vou entregar pessoalmente um exemplar ao Jobim para ver se essas histórias deslocam um pouco sua visão”, brincou Vannuchi. ” O que está proposto aqui é a vida da democracia, a idéia de incorporar um Brasil de todos”, concluiu, aplaudido longamente de pé pelos presentes.

    Fotos: Eduardo Seidl

  3. Alberto Figueiredo disse:

    É impressionante como esta corja tem quem os defenda, dizer que um crápula como Vannuchi ficou emocionado é não conhecer a qualidade.
    Agora vamos ouvir muitas coisas lindas dele de Jobim, de dilma e do crápula.
    Vamos deixar que quem já nos rouba, deforma as verdades, falsifica relatos e defende assassinos nos enganem com palavras estudadas.
    Para não perder o poder lula e sua corja, laberão até o chão que fidel pisa, o importante é abrir espaço para tranformar o Brasil em outra Cuba.

    TSE determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN. – Prova que as instituições nacionais estão falidas.
    ‘A decisão do TSE que determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN, a pedido do presidente ‘Lula’ até pode ter amparo na legislação eleitoral, mas fere o preceito constitucional da liberdade de imprensa e de expressão, configurando-se, portanto, um ato de censura. ‘
    Que a censura existe não é novidade é de conhecimento público, mais como a grande imprensa é dominada senão pelos globais, por homens ainda mais sem honra, moral ou escrúpulos que se escondem por trás da palavra de Deus para manipular multidões.
    Em outro trecho:
    ‘Jabor faz parte de uma lista de profissionais tidos pelo Presidente Lula, como desafetos e, por isso, passíveis de retaliação à medida que se apresentem as oportunidades!’ – É notório

    ‘Não deixem de ler e reler o texto abaixo e passem adiante’!

    A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE
    (ARNALDO JABOR)
    O que foi que nos aconteceu?
    No Brasil, estamos diante de acontecimentos inexplicáveis, ou melhor, ‘explicáveis’ demais.
    Toda a verdade já foi descoberta, todos os crimes provados, todas as mentiras percebidas.
    Tudo já aconteceu e nada acontece. Os culpados estão catalogados, fichados, e nada rola.
    A verdade está na cara, mas a verdade não se impõe. Isto é uma situação inédita na História brasileira!!!!!!!
    Claro que a mentira sempre foi a base do sistema político, infiltrada no labirinto das oligarquias, mas nunca a verdade foi tão límpida à nossa frente e, no entanto, tão inútil, impotente, desfigurada!!!!!!!!
    Os fatos reais: com a eleição de Lula, uma quadrilha se enfiou no governo e desviou bilhões de dinheiro público para tomar o Estado e ficar no poder 20 anos!!!!
    Os culpados são todos conhecidos, tudo está decifrado, os cheques assinados, as contas no estrangeiro, os tapem, as provas irrefutáveis, mas o governo psicopata de Lula nega e ignora tudo!!!!!
    Questionado ou flagrado, o psicopata não se responsabiliza por suas ações. Sempre se acha inocente ou vítima do mundo, do qual tem de se vingar. O outro não existe para ele e não sente nem remorso nem vergonha do que faz !!!!!
    Mente compulsivamente, acreditando na própria mentira, para conseguir poder. Este governo é psicopata!!! Seus membros riem da verdade, viram-lhe as costas, passam-lhe a mão nas nádegas. A verdade se encolhe, humilhada, num canto. E o pior é que o Lula, amparado em sua imagem de ‘povo’, consegue transformar a Razão em vilã, as provas contra ele em acusações ‘falsas’, sua condição de cúmplice e Comandante em ‘vítima’!!!!!
    E a população ignorante engole tudo. Como é possível isso?
    Simples: o Judiciário paralítico entoca todos os crimes na Fortaleza da lentidão e da impunidade. Só daqui a dois anos serão julgados os indiciados – nos comunica o STF.
    Os delitos são esquecidos, empacotados, prescrevem. A Lei protege os crimes e regulamenta a própria desmoralização Jornalistas e formadores de opinião sentem-se inúteis, pois a indignação ficou supérflua. O que dizemos não se escreve, o que escrevemos não se finca, tudo quebra diante do poder da mentira desse governo.
    Sei que este é um artigo óbvio, repetitivo, inútil, mas tem de ser escrito…
    Está havendo uma desmoralização do pensamento.
    Deprimo-me:
    Denunciar para quê, se indignar com quê? Fazer o quê?’
    A existência dessa estirpe de mentirosos está dissolvendo a nossa língua. Este neocinismo está a desmoralizar as palavras, os raciocínios. A língua portuguesa, os textos nos jornais, nos blogs, na TV, rádio,tudo fica ridículo diante da ditadura do lulo-petismo.
    A cada cassado perdoado, a cada negação do óbvio, a cada testemunha, muda, aumenta a sensação de que as idéias não correspondem mais Aos fatos!!!!!
    Pior: que os fatos não são nada – só valem as versões, as manipulações.
    No último ano, tivemos um único momento de verdade, louca, operística, grotesca, mas maravilhosa, quando o Roberto Jefferson abriu a cortina do país e deixou-nos ver os intestinos de nossa política.
    Depois surgiram dois grandes documentos históricos: o relatório da CPI dos Correios e o parecer do procurador-geral da república. São verdades cristalinas, com sol a Pino.
    E, no entanto, chegam a ter um sabor quase de ‘gafe’.
    Lulo-Petistas clamam: ‘Como é que a Procuradoria Geral, nomeada pelo Lula, tem o desplante de ser tão clara! Como que o Osmar Serraglio pode ser tão explícito, e como o Delcídio Amaral não mentiu em nome do PT ? Como ousaram ser honestos?’
    Sempre que a verdade eclode, reagem.
    Quando um juiz condena rápido, é chamado de exibicionista’. Quando apareceu aquela grana toda no Maranhão (lembram, filhinhos?), a família Sarney reagiu ofendida com a falta de ‘finesse’ do governo de FH, que não teve a delicadeza de avisar que a polícia estava chegando…
    Mas agora é diferente.
    As palavras estão sendo esvaziadas de sentido. Assim como o stalinismo apagava fotos, reescrevia textos para contestar seus crimes, o governo do Lula está criando uma língua nova, uma neo-língua empobrecedora da ciência política, uma língua esquemática, dualista, maniqueísta, nos preparando para o futuro político simplista que está se consolidando no horizonte.
    Toda a complexidade rica do país será transformada em uma massa de palavras de ordem, de preconceitos ideológicos movidos a dualismos e oposições, como tendem a fazer o Populismo e o simplismo.
    Lula será eleito por uma oposição mecânica entre ricos e pobres, dividindo o país em ‘a favor’ do povo e ‘contra’, recauchutando significados que não dão mais conta da circularidade do mundo atual. Teremos o ‘sim’ e o ‘não’, teremos a depressão da razão de um lado e a psicopatia política de outro, teremos a volta da oposição Mundo x Brasil, nacional x internacional e um voluntarismo que legitima o governo de um Lula 2 e um Garotinho depois.
    Alguns otimistas dizem: ‘Não… Este maremoto de mentiras nos dará uma fome de Verdades’!
    A solução é não votar no PT, nem na Dilma, nem em qualquer político que já esteja no cargo, renovação já!!
    Que outra explicação se pode dar a aceitação destes fatos senão o jeitinho brasileiro; tem futebol, carnaval, bunda, loteria, então o resto que se exploda!
    Em qualquer outro lugar do mundo o caldo já teria entornado (claro que excluindo-se os já dominados, pela corja do FSP).
    O brasileiro é roubado todos os dias, sua para manter a mordomia de milhares de ladrões e ainda os chamam excelências. Jamais, nem mesmo o mais completo vidente poderia ser mais objetivo.
    Esopo: Os pequenos ladrões nós enforcamos, os grande fazemos políticos.
    E no Brasil a capacidade política é medida pelo tamanho da folha corrida, quanto mais ladrão, escroque, mentiroso, mais conceituado.
    VAMOS FAZER ESTA CORJA TRABALHAR, NÃO VOTAR EM NENHUM QUE ESTA NO PODER, VAMOS COMEÇAR A LIMPAR O CENÁRIO POLÍTICO BRASILEIRO, POIS PIOR QUE SER REPRESENTADO POR LADRÕES É ACEITAR ESTA REPRESENTAÇÃO, ENTÃO SEREMOS CONIVENTES, SE A JUSTIÇA, (FOTO ANEXA) ASSIM É, QUE SEJA POSTA DE LADO E A JUSTIÇA DO POVO PREVALEÇA.

  4. Alberto Figueiredo disse:

    LULA O OPERÁRIO, LULA O POBRE, LULA O PAI DOS POBRES DO BRASIL!
    Tão falso quanto o filme que o queria herói!
    Que a história se repita.

    Com toda a certeza, daqui alguns anos, um presidente brasileiro chegará em Havana e depositará flores sobre o monumento erguido para Orlando Zapata, o operário assassinado pela ditadura castrista, sob os olhos coniventes e sorridentes do ex-operário Luiz Inácio Lula da Silva. Haverá democracia em Cuba. Na sua viagem a San Salvador, um dia depois de ser cúmplice de um assassinato político, Lula homenageou o arcebispo salvadorenho Óscar Arnulfo Romero que, em 1980, foi assassinado em plena missa.”Monsenhor Romero tem muito a ver com minha trajetória política que começou nos anos setenta, por ocasião da corrente da Teologia da Libertação”, disse Lula no discurso, esquecendo que Orlando Zapata, o cubano que ele não protegeu porque não quis, este sim, era um pedreiro. Lula achou melhor se comparar com um arcebispo, não com um operário. À época, a morte do religioso provocou uma onda de protestos internacionais contra a situação dos direitos humanos naquele país. Que o assassinato de Orlando Zapata seja o sangue que faltava para a restauração da democracia em Cuba. E que,no Brasil, este sangue abra os olhos do povo brasileiro para o verdadeiro Lula.
    Postado por CORONEL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: