O Direito de Nascer Cabense e o Dia da Mulher

O Direito de Nascer Cabense e o Dia

da Mulher

Por: Moura

Especial dia da Mulher

As afrontas que as Mulheres do Cabo ainda sofrem na questão básica no direito a Vida.

A muito venho pesquisando sobre os direitos constitucionais que as mulheres do Cabo teriam direito, me deparei com vários fatos, mas um entre todos me chamou mais atenção que era o direito de nascer Cabence como mostra o titulo da matéria.

O Direito de Nascer Cabence e o Dia da Mulher

No Brasil de hoje, planejamento familiar é tema cotidiano, haja vista a freqüente abordagem da imprensa acerca de temas tais como mortalidade materna, aborto, esterilização, reprodução assistida ou outros relacionados à procriação.

Com esta minha ancia de buscar a verdade doa a quem doer, vi de perto como as mulheres aqui do Cabo são tratada tanto na parte da Saúde como também o direito de ter seus filhos aqui no Cabo.

No Brasil, a cirurgia de laqueadura das trompas uterinas em mulheres e vasectomia em homens que manifestarem clara e expressamente o desejo de evitar a fertilidade através de tais procedimentos. Está regulamentado pela Lei Federal nº 9.263 (Lei Sobre Planejamento Familiar), de 12 de janeiro de 1996, e no art.226 da Constituição Federal – “A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.”
A presente Lei vem bem a calhar nos alarmantes números que nos são mostrados nas estatísticas da juventude atual, em particular, como também na população brasileira como um todo, onde vemos que a questão da natalidade se apresenta como um problema que exige soluções de caráter urgente por parte do Estado e Municípios, uma vez que o planejamento familiar é direito de todo cidadão.

O Município do Cabo de Santo Agostinho pratica esta lei na sua mais pura concepção ou deixa a mercê de terceiros?

Buscando fazer valer o direito a democracia o Portal Cabo em sua matéria “Laqueadura uma moeda de troca por votos” já avia relatado que varias denuncias chegaram até minha pessoa, mas nem uma delas com provas concretas ou varias delas as pessoas não queriam se expor com medo de represaria por parte daqueles que o fazem este tipo de ato.

Mas como a vida da volta e o destino se faz de artista em prol daqueles que luta pela igualdade. Fui ate Vitoria de Santo Antão e busquei saber na maternidade de lá se avia como eles me repassarem os registros das crianças nascida naquela maternidade e que tivesse origem do Cabo de Santo Agostinho no momento de minhas tais indagações disseram que não podia dar tais informes, mas em off um funcionário que não quis se identificar me relatou que por volta de 12 a 20 crianças nascem por dia aqui é que recebemos gestantes de vários municípios vizinhos inclusive do Cabo, mas nos finais de semana a maioria é do Cabo principalmente aquelas gestantes que faz a opção pela laqueadura de trompas, perguntei ao mesmo, por que só nos finais de semana esta gestantes do Cabo para lá se dirigem, para fazer tal serviços, o mesmo com ironia me disse “ai você esta querendo saber de mais”

Na busca pelos seus direitos para aplicação da Lei Federal nº 9.263 que deveria ser divulgada a todas as mulheres do Cabo onde a mesma não deveria procurar tais serviços com quem quer que seja, e sim buscar o mesmo de forma simples e clara no órgão competente que seria através da secretaria de Saúde de nosso Município que tem este tipo de serviço gratuito a todas as mulheres Cabences.

Agora voltando Ao direito de Nascer Cabence, ai é uma questão de principio que tais circunstâncias são impostas a estas mulheres, muitas vezes fragilizadas por questões sociais e as mesmas não atinam com esta afronta do direito que tem seus filhos de ser Cabence, só percebem o fato em si quando vão ao Cartórios do Cabo para fazer o registro dos seus rebentos.

Agora quando eu encontro um fato deste promovido pelo Próprio Município fico a me perguntar qual o dano causado para tal atitude, me explico melhor.

Como sempre digo: “A vida da volta e o destino se faz de artista em prol daqueles que luta pela igualdade”. Esta parábola que uso para conter meus anseios diante da formalização de uma matéria para o Portal Cabo, eu aguardo o desenrolar dos fatos, pois sei do meu comprometimento com a democracia e a justiça e tal matéria tem que aguardar o destino final dos fatos, então na data de hoje recebi a historia de uma Cabence legitima da gema que teve seu filho em outras paradas e por sinal Vitoria de Santo Antão, não que a mesma fosse para lá para fazer o serviço de Laqueadura não, à mesma foi transferida para dar a Luz, pois a Maternidade Padre Geraldo não havia um Pediatra de Plantão, alguns vão me perguntar, mas quem faz a cirurgia é o obstetra sim mas quem examina o recém nascido nas primeiras horas é o Pediatra e neste dia em plena quarta feira não avia um pediatra de plantão em uma Maternidade recém inaugurada, portanto a Gestante foi encaminhada para Vitoria de Santo Antão.


Agora me pergunto será que isso é certo, nossos filhos serem empurrado para nascer em outro município justamente por falta de um Pediatra?

E veja que ironia do destino o bisavô desta criança foi o Primeiro Oficial de Justiça do Cabo, onde o mesmo tem até uma rua com seu nome é isto que vem acontecendo em nosso município.

Garantir a gestante o direito de ter seu filho no local onde mora é obrigação do Estado e Município isto esta escrito na constituição.

Este fato traz transtornos imensuráveis imagine quando o governo federal faz o repasse de verba com dados na quantidade de habitantes só ai já começou o prejuízo imagine as verbas para Saúde, habitação e segurança todos com repasse com dados por habitante, isto o que eu apurei imagine o resto.

Imagine agora, os transtornos psicológico que essas mulheres passam, quando são transferidas para outro município, são vários, desde a falta do acompanhamento por parte de parentes ou até o conjugue da mesma, pois nesta maternidade de tão pequena que é, não pode ter acompanhante, outro fato relatado “É que lá, somos tratadas como animais, la falta de tudo, até alimentação se meu esposo não providencia-se uma refeição teria morrido de fome” comentou uma das pacientes, outro fato lamentável é que muitas dessas mulheres do Cabo são levadas de ambulância e largada lá a seu bel prazer e muitas delas recebem alta e os parentes achando que as mesma estão no cabo ficam sem saber para onde levaram, a paciente ai a mesma fica lá até alguém venha descobrir onde a mesma se encontra isto ocorreu quando fiz esta vista a Vitoria

Veja quanta ironia com o trato com as mulheres Cabenses estes fatos são lamentáveis agora hoje nesta data vemos vários políticos aqui do Cabo ficar falando em homenagem a mulher no seu Dia é muita ironia ou cegueira explicita, pois será que só eu que descubro estas coisas? Depois acham que perseguimos os mesmo por questões banais.

Voltando á Maternidade Padre Geraldo temos que avaliar qual é o verdadeiro papel da mesma, neste truculento ato abusivo por parte de quem administra e quem trabalha no mesmo, pois em plena quarta feira não ter um pediatra para acompanhar o recém nascido é um atitude retrógada de um novo Tempo. Bom se analisar quantas crianças nascem em vitoria sendo do município do Cabo fizemos as contas, por baixo e por ano daria um total de 4004 crianças Cabenses imagine no período do novo tempo de 8 anos 32032 crianças agora lhe pergunto:

Temos que nesta data refletir melhor, qual é a política que melhor reflete as necessidades básicas das Mulheres Cabenses?

Logo Mais colocaremos a entrevista desta Jovem Cabense aguardem

Ass. Moura

Comments
12 Responses to “O Direito de Nascer Cabense e o Dia da Mulher”
  1. I read blogs on a similar topic, but i never visited your blog. I added it to favorites and i’ll be your constant reader.

  2. Resumindo, estes cidadãos e cidadães Cabenses, serão forasteiros? Pelo menos sob o olhar de muitos políticos que fizeram deste tema arma de campanha, sim!
    Porque a Organização Mundial de Saúde preconiza que todas as mulheres sem excepção, devem recorrer aos cuidados profissionais de saúde quando dão à luz, que devem ser prestados num ambiente adequado, perto do local onde vive e de acordo com a sua cultura de origem se este direito básico não é respeitado?
    Enquanto as prioridades não forem mudadas, continuaremos assistindo estes fatos. Para que uma estrada maravilhosa que me leva a uma meternidade linda se lá não encontro médicos?

  3. Vanessa andrade disse:

    Tenho minhas razões para externar meu repudio contra esta arbitrariedade
    Minha amiga foi conduzida com principio de aborto á esta maternidade a mesma passou por um processo chamado curetagem que feita a retirada do feto morto.
    Fora disso a mesma ficou internada para as devidas convalescência mas os dias foram passando e a minha amiga começou apresentar febre e dores abdominais inclusive um sangramento uterino após isso os médicos resolveram levar a mesma para fazer um ultrasom uterino o que constataram que a mesma estava grávida. Ai foi um reboliço só nesta maternidade pois a mesma estava grávida de Gêmeos e os mesmo retiraram um dos fetos. Isto é muito preocupante e temos que dar um basta neste descaso e na falta de despreparo destes que se dizem Médicos
    Agora fica uma pergunta será que nesta curetagem eles tivessem retirado o feto vivo ninguém ficaria sabendo, mas parece que graças a Deus estas coisa acontece para alertar que a falta de preparo ou experiência destes médicos que atenderam minha amiga.
    Sei que este é e seria mais um caso a ser examinado pelo conselho de medicina do estado de Pernambuco se fosse feita uma denuncia junto ao mesmo, mas como a mesma não quis fazer tal denuncia esta impunidade ainda ira acontecer.
    Vanessa Andrade

  4. biro de Pirapama disse:

    A violência contra a mulher, conhecida também como violência de gênero, é um drama que faz parte do dia-a-dia das pequenas e grandes cidades. É uma prática milenar e silenciosa. Vista com naturalidade e inerente à condição humana, é considerada sem importância, e o que é pior, está cada dia mais banalizado.

    Isso é fruto de uma sociedade machista, que tem entranhada na sua cultura, ainda que no terceiro milênio , o mito da “defesa da honra” e de que “mulher gosta de apanhar”. A violência doméstica, é o primeiro tipo de violência com o qual o ser humano entra em contato, desde o início de sua infância. É uma questão social.

    Na definição das Nações Unidas, violência contra a mulher é qualquer ato de violência baseado na diferença de gênero, que resulte em sofrimentos e danos físicos, sexuais e psicológicos da mulher; inclusive ameaças de tais atos, coerção e privação da liberdade seja na vida pública ou privada”. Esta violência, na maioria das vezes , camuflada, é um sério problema de saúde pública, assim como uma violação dos direitos humanos.

    Para proteger a mulher dessa violência sem fronteiras, nos últimos anos foram criados importantes mecanismos, como a Defensoria Pública da Mulher, para prestar assistência judiciária gratuita às mulheres vítimas de violência; as Delegacias Especializadas de Defesa da Mulher, especificamente para investigar e punir os agressores de mulheres; como a Casa Abrigo e o Centro de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, para resguardar a segurança, a saúde e a vida da mulher e seus filhos, além de várias ONGs.

    Agora ontem vi um Grande ato no Cabo onde as mulheres Cabenses faziam uma passeata em busca dos seus direitos, contudo me parece que as mesma esquecem desta atrocidade que se encontra a nossa Saúde aqui no Cabo, inclusive as barbárie que acontece com as mesma e sem contar como o Próprio nome da Matéria diz Nascer Cabence é uma obrigação ou vamos deixar isso para lá, seria bom caro Moura enviar esta matéria para o Centro das Mulheres do Cabo, para que as mesma tomem de conta deste fatos gravíssimos que acontece em nosso Municípios.

    Biro de Pirapama

  5. amara lima disse:

    A busca pela compreensão, no plano teórico-político, para melhor contribuir no processo da superação, refletindo e empreendendo ações no combate à violência contra a mulher.

    Temos caro amigo Moura, que fazer uma Simples Pergunta, da ultima comemoração do dia da Mulher já se passaram um ano e temos que analisar o que os nossos político fizeram em prol das Mulheres Cabenses? Vejo que nada contribuíram para nos mulheres

    A uma velha reivindicação que seria uma casa de apoio para as mulheres aqui do Cabo tanto promovida pelo centro das Mulheres como por vários políticos e até agora nada

    Os Políticos só sabem prometer e nada mais, temos que sair deste meanbre machista, que nos tentam subjugar por décadas já esta na hora das mulheres Cabenses soltar estas amarras que tanto tem contribuído para nos deixar na berlinda que eles querem

    Vamos mulheres Cabenses vamos nos desvencilhar destes grilhões machista que só tem nos conduzido ao segundo plano colocando nós com coadjuvante nesta historia de luta, vamos ser atrizes principal deste mundo

    Ass. Amara lima

  6. amara lima disse:

    Seria muito bom Moura que o Centro da Mulheres do Cabo se Pronuncia-se sobre mais este Descaso que afeta nós Mulheres

  7. Beto disse:

    Caro Moura,
    Ainda bem que as Mulheres mesmo anônimas começaram a despertar, como é o caso de Vanessa Andrade e Amara Lima, onde conhece os graves problemas de Saúde de nosso Município e em especial os das mulheres. O que assistimos é os interesses pessoais acima do coletivo, haja vista que a grande figura que por muito tempo esteve a frente do Centro das Mulheres,por conveniência Política está a muito tempo em absoluto silencio. Seu partido O PT, dar sustentação a este desgoverno que ora o empresário da área de transporte ocupa a cadeira de Prefeito.

  8. fabiana do alto do cruzeiro disse:

    Que tipo de médico cada um de nós gostaria que nos atendesse? Competente? Sim. Que nos ouvisse e se interessasse por nós? Sim. Que tantas outras características gostaríamos de ver atendidas? Queremos um profissional que até diga: “minhas possibilidades de ajuda se esgotaram, devemos transferi-lo para outro centro”. Esse outro centro pode ser outro hospital da cidade, em outra cidade ou mesmo em outro país. Isso é absolutamente comum em todo o mundo.

    Equipamentos muito caros ou profissionais com experiência em doenças raras se localizam, em geral, em grandes centros populacionais. Porém, o melhor centro é aquele em que teremos nossa necessidade atendida com mais rapidez e eficiência, com atenção e carinho.

    Esta minha constatação eu me reporto devido a deficiência nos posto médicos do Cabo, quando marcamos uma consulta esperamos dias a ser atendido e quando afinal o grande dia chega o medico muitas vezes não vem trabalhar, será por que isso acontece já sei se nem mesmo o maior chefe deles dão satisfação dos seus atos, imagina um pobre coitado de um medico, o chamo de pobre pela sua falta de compostura ética e digna de um bom serviçal, este mesmos médicos não se dão conta quanto transtorno causa para as pessoas que necessita de tais serviços. Que nada vocês acham que eles ligam para nos?

    Acho que não, contudo seus mundos são outros, onde não a brecha para a caridade alheia imagine para uma Mulher Grávida e desprotegida por questões sociais

    Ass. Fabiana

  9. Magda Ferraz disse:

    Moura mais uma vez acertou de cheio nesta matéria é por isso que sou admiradora de seu humilde trabalho

    Mas os fatos aqui são claros e bem grave, principalmente na questão de nascer em nosso próprio Município, veja que isso já vem ocorrendo a muito tempo todas as mulheres do cabo sabem e conhece os serviços de laqueadura propostos por estes trogloditas que andam pelas ruas da cidade oferecendo seus serviços parecendo abutre que não pode ver uma grávida se quer para oferecer seus ilustre desserviços.

    Mas isto é para questionamento do MP, mas agora uma maternidade reconduzir tais pacientes para outra localidade é o fim da picada como diz os matutos, é vexatório demais e não podemos nos calar diante de tais fatos espero que esta matéria possa sensibilizar o coração de Pedra do atual Prefeito e seus serviçais

    Mas tenha certeza Moura que este vão prestar contas ao altíssimo e lá não tem meio termo
    Magda Ferraz

  10. Anderson disse:

    Eu me lembro de outra matéria do Hospital infantil recém inaugurado e já avia vazamentos em um ar condicionado isto mostra Moura que a Saúde esta sendo tratada a quem de direito basta ver que suas obras reformas são orçadas com valores astronômicos de uma realidade que não representa o contexto do Cabo fora disso às empresas contratadas são sempre do mesmo naipe e quando outra venha ganhar esta concorrência da se um jeito de retirá-la do páreo com manobras dizendo que a mesma não cumpriu tais itens (A B ou C) ficando a mesma desqualificada e se a mesma vai recorrer ai é outros quinhentos.

    Isto ocorre diariamente basta ver o Diário Oficial e fazer um análise mais minuciosa saberá do que eu falo, portanto temos que fazer uma vigília maior onde tudo começa, onde nem sempre uma bela fachada traz um bom conteúdo.

    Boa sorte a todos

  11. Este problema sério e muitos outros passarão a fazer parte do cotidiano dos cabenses, a grande quantidade de empresas que estão sendo implantadas provocando uma corrida em busca de empregos vai provocar um colapso sem precedente.
    Está todo mundo visando a qualificação de mão de obra o que é louvável mais ninguém tem estudos referentes aos impactos ambientais, sociais e estruturais que a corrida por emprego causará ao município nos próximos dez anos.
    Abrem-se grandes vias, constroem-se viadutos, hospitais mais não estão colocando em evidência um plano habitacional que venha a suportar a invasão que já começa a ser sentida, já faltam moradias no Cabo, Ponte dos Carvalhos, Pontezinha.
    Quando da discussão sobre ICMS recebidos por Cabo e Ipojuca e a possível divisão com outros municípios eu defendi que pelo menos nos primeiros dez anos todo ICMS recolhido por estes municípios fossem igualitariamente divididos para que se preparassem para a triplicação do número de habitantes, com construção de postos médicos (com médicos) escolas (com professores) segurança (com policiais ou guarda municipal (capacitada e equipada), serviços emergenciais além de um plano habitacional muito bem estruturado para fazer em face da realidade que já bate á porta.
    As deficiências na prestação do serviço público vistas hoje são apenas uma pequena parte do que ocorrerá em breve.
    Ipojuca afogada em dinheiro, morrerá sufocada por uma população carente de tudo inclusive de comércio.
    O Cabo terá sua estrutura habitacional e de serviços públicos, já combalida, esmagada por uma superpopulação que bem remunerada buscará melhores moradias, assistência, lazer, educação, segurança.
    Isto é apenas o começo.
    O Cabo tem que crescer, se preparar para uma explosão habitacional, se isto for possível, já está atrasado, bem atrasado.

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] ao grande impacto que a matéria o direito de Nascer Cabense o vereador Ricardinho pediu hoje na tribuna um voto de aplauso para o Prefeito de Vitoria de Santo […]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: