Assembleia convoca audiencia publica para debater desmatamento em Suape

Assembleia convoca audiencia publica para debater

desmatamento em Suape

O desmatamento de 1.076 hectares de vegetação nativa no Complexo Industrial e Portuário de Suape será debatido na próxima terça, a partir das 9h, na Comissão de Justiça da Assembleia Legislativa. A audiência pública foi solicitada pela deputada Jacilda Urquisa (PMDB), da bancada de oposição, durante reunião na manhã desta terça.

É que o projeto de lei que prevê o corte de 893,4 ha de mangue, 17,03 ha de mata atlântica e 166,06 ha de restinga, foi enviado à casa pelo executivo. No texto, o governador Eduardo Campos alega que o corte é necessário à implantação do chamado cluster da industrial naval em Suape, com pelo menos um estaleiro confirmado.

Veja o que já saiu sobre o Tema

Consema convoca reunião para debater desmatamento recorde em Suape

O Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) realiza na sexta, 9 de abril,  reunião extraordinária para discutir e se posicionar sobre o desmatamento de área de mangue, mata atlântica e restinga existentes no Complexo de Suape. Será às 9h, no auditório da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectma). no Bairro do Recife.

A Sectma atende solicitação do biólogo Ricardo Braga, representante da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) no Consema. O demais membros, informa a Sectma, já foram convocados, além dos representantes da administração de Suape, para discutir e apresentar os estudos técnicos da área, assim como os procedimentos para uma eventual compensação ambiental.

O corte, previsto em projeto de lei enviado pelo executivo à assembleia legislativa, é de 893,4 ha de mangue, 17,03 ha de mata atlântica e 166,06 ha de restinga  para a implantação do chamado cluster da indústria naval em Suape, no Grande Recife, com três estaleiros já confirmados.

Comissão de Meio Ambiente da Assembleia debate desmatamento recorde em Suape

O desmatamento de 1.076 hectares no Complexo Industrial e Portuário de Suape será discutido nesta segunda, 5 de abril, a partir das 9h, na Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, presidida pela deputada Ceça Ribeiro (PSB).

A reunião é restrita aos parlamentares e técnicos integrantes da comissão. Compõem a comissão outros 9 deputados: Adelmo Duarte, Lucrécio Gomes, Pastor Cleiton Colins, Pedro Eurico, Nelson Pereira, Dilma Lins, Elina Carneiro, Everaldo Cabral e Isaltino Nascimento. Os técnicos somam 13.

O corte – são 893,4 ha de mangue, 17,03 ha de mata atlântica e 166,06 ha de restinga – está previsto em projeto de lei enviado pelo governador Eduardo Campos. A justificativa: implantação do chamado cluster da indústria naval em Suape, no Grande Recife, com três estaleiros já confirmados.

Na terça-feira, às 9h30, está prevista reunião ordinária da Comissão de Justiça para discutir o projeto de lei, de número 1496.

A expectativa é que a deputada Jacilda Urquiza (PSDB), que é da bancada de oposição, minoria na assembleia, solicite audiência pública para discutir o projeto. A parlamentar pediu, no dia 30, vista do projeto de lei, suspendendo a votação, que seria na terça-feira, dia 6.

A área a ser devastada equivale a 1.000 campos de futebol. Para se ter uma ideia de como é grande, para implantar o complexo portuário, na década de 80, foram aterrados 600 hectares de mangue.

O diretor de Meio Ambiente de Suape, Ricardo Padilha, informa que a compensação ambiental será a criação de duas unidades de conservação estuarinas. “Uma na foz do Rio Jaboatão e outra na do Rio Ipojuca, totalizado 1.500 hectares de áreas protegidas.”

ONG apela para Carlos Minc para barrar desmatamento recorde em Suape

A organização não-governamental Aspan enviou no início desta semana carta ao ainda ministro Carlos Minc, de Meio Ambiente, pedindo que ele ajuda para evitar o desmatamento de 1.076 hectares de vegetação nativa no Porto de Suape.

A ONG denuncia que o governo do Estado, proponente de projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa de Pernambuco autorizando a devastação, tem decretado de interesse social ou utilidade pública obras que não se enquadram nessa classificação.

O corte – são 893,4 ha de mangue, 17,03 ha de mata atlântica e 166,06 ha de restinga – está previsto em projeto de lei enviado pelo governador Eduardo Campos. A justificativa: implantação do chamado cluster da indústria naval em Suape, no Grande Recife, com três estaleiros já confirmados.

O diretor de Meio Ambiente de Suape, Ricardo Padilha, informa que a compensação ambiental será a criação de duas unidades de conservação estuarinas. “Uma na foz do Rio Jaboatão e outra na do Rio Ipojuca, totalizado 1.500 hectares de áreas protegidas.”

MINISTRA

A atual ministra Izabtella Mônica Vieira Teixeira tomou posse quarta -feira. Bióloga com mestrado em Planejamento Energético e doutorado em Planejamento Ambiental, é funcionária de carreira do Ibama desde 1984. Também foi subsecretária de Estado do Meio
Ambiente da Secretaria do Ambiente do Rio de Janeiro de 2007 a 2008. Exerceu a condução e a gerência executiva de projetos e programas ambientais de programas de cooperação internacional. Minc deixou o governo para concorrer a uma vaga de deputado estadual pelo PT do Rio de Janeiro.

UFPE solicita ao Consema reunião para debater desmatamento recorde em Suape

O representante da UFPE no Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), Ricardo Braga, solicitou reunião extraornidária dos conselheiros para discutir o projeto de lei 1496/2010, que autoriza o desmatamento de 1.076 hectares de vegetação nativa em Suape para a implantação de três estaleiros.

Na carta, enviada na segunda-feira, dia 29 de março, o conselheiro alega as dimensões do desmatamento – o equivalente a 1.000 campos de futebol – e a forma de compensação proposta, que lhe parece “inadequada.”

O biólogo, que integra o Grupo de Recursos Hídricos, vinculado ao Departamento de Engenharia Civil da UFPE, pede ainda à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente que convoque para a reunião os presidentes do Complexo de Suape e da Agência Pernambucana de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH).

O corte – são 893,4 ha de mangue, 17,03 ha de mata atlântica e 166,06 ha de restinga – está previsto em projeto de lei enviado pelo governador Eduardo Campos. A justificativa: implantação do chamado cluster da indústria naval em Suape, no Grande Recife, com três estaleiros já confirmados.

O diretor de Meio Ambiente de Suape, Ricardo Padilha, informa que a compensação ambiental será a criação de duas unidades de conservação estuarinas. “Uma na foz do Rio Jaboatão e outra na do Rio Ipojuca, totalizado 1.500 hectares de áreas protegidas.”

Comments
One Response to “Assembleia convoca audiencia publica para debater desmatamento em Suape”
  1. Governador!
    Desculpe mais o senhor errou!
    Se tivesse agido da mesma maneira que agiu para aprovação da lei autorizando a supressão dos 10Km de mangue para construir a estrada para os riquinhos do Paiva,( suprimindo em várias etapas, regime de urgência etc) nada disso estaria acontecendo visto que a cada parte de dez quilometros os deputados aprovam em vinte e quatro horas, nem lêem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: