LIXO – VICINAL-AREAL?

LIXO – VICINAL-AREAL?

Ainda existe quem questione quando um cidadão ou entidades organizadas cobram explicações.

Até sábado quando veio a público a implantação da CTDR (Unidade de Cogeração) no Cabo de Santo Agostinho, ninguém sabia, quando digo ninguém me refiro principalmente à câmara, nenhum vereador tinha conhecimento do projeto e nem da entrevista na Rádio Calhetas abordando o assunto: Empreendimento da Recife Energia S/A – CTDR- Central de Tratamento e Destinação de Resíduos (Área 2 – Cabo de Santo Agostinho), concedida ao jornalista Eli José o Batata, da qual participaram além da Associação dos Moradores da Charneca, UNETUR- União dos Empreendedores de Turismo Cabo de Santo Agostinho/PE e o Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa, (local da primeira fase do processo) o Portal Cabo representado por seu titular Carlos Domingos Moura como sempre atualizado sobre tudo que tem referência com nosso município.

Um mês atrás o Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa, me informou sobre o andamento deste projeto, como não tinha conhecimento sobre o assunto e vendo a grandeza de sua importância contatei Moura que usou suas fontes em busca de informações, como sempre, usando do profissionalismo que lhe é peculiar levantou dados, pesquisou, se inteirou de tudo e esteve na  entrevista, defendeu seu ponto de vista marcou presença na entrevista, valorizou-a.

Eli josé o Batata sempre abre as portas da Radio Calhetas quando o assunto pode de alguma forma, influenciar a vida de todos os cabenses.

Meu ponto de vista esta sendo posto na mesa, debater, somar pros e contras é um investimento grandioso.

Assistindo a comunidade organizada buscar explicações dos poderes quando uma ação de tal magnitude influirá sobre gerações de cabenses nos dá um pouco de tranquilidade, pois, sem dúvidas serão cobrados cumprimentos de todos os itens expostos as comunidades, inclusive permanente fiscalização sobre o estabelecido.

Nossos representantes onde estão?

Quando houve a exposição em audiência pública da EIA/RIMA sobre a estrada – Vicinal-BR101-Pontezinha /Barra de Jangada, mesmo que se tenham notado vereadores cabenses no local e estes  terem visto a desaprovação quase total ao traçado apresentado (não ao projeto, a estrada é necessária e bem vinda), porque a câmara não chamou a população e as entidades organizadas para uma audiência pública para ser ouvida, (audiência que se faz necessária para casos como estes) se existiam outros traçados, opções outras de menores impactos ambientais e sociais?

Nada, muda inerte fazendo apenas o que lá esta para fazer, aprovar tudo que possa ser transformado em voto ou seminários em Salvador.

Destruição em SUAPE, algum movimento da câmara, talvez!

Talvez depois de noticiado alguns se mexam, uns buscando mostrar ao povo que se interessam e têm conhecimento do que ocorre ou vão ocorrer, outros para mostrar que é oposição, condenam sem ao menos conhecer a fundo os investimentos, seus prós e contras, se ser contra der voto, serão, se não, apoiarão sem pestanejar.

Acreditem! Em Pontezinha tem uma localidade que a prefeitura e principalmente os vereadores não conhecem “fora da época de campanha, quando por lá passam pedindo voto ou enchendo o saco com carros de som alardeando mentiras” não conhece apesar das ruas terem nomes e CEP, Celpe e Compesa fornecerem e recebem.

Dentro desta comunidade centenas de famílias que foram indenizadas pela desativada PPF (Fábrica de pólvora) com os imóveis onde residiam, provavelmente existam algumas invasões é verdade, mesmo assim perpetrada há anos, pequenos comércios etc.

Muitos dos moradores desta comunidade lutam (Imaginem! Para pagar IPTU), vereadores “em campanha” já passaram por lá e comprometeram levar o caso à debate na câmara, visando tornar a localidade parte de Pontezinha (mesmo estando no meio dela), nem mesmo no mapa feito pela PMCSA, esta localidade aparece.

Para ajudar na localização e devido a “dificuldade de acesso e localização” estou disponibilizando uma foto de toda área, para quem sabe, não apenas um vereador mais toda câmara possa encontrar o caminho para este local tão ermo e perdido tornando-a parte de Pontezinha.

Cidadãos!

Venho alertando há muito, estamos vivendo um momento único que alterará o Cabo e o futuro de todos os cidadãos, a câmara tem de se fazer presente em defesa dos interesses dos munícipes, fiquemos de olhos abertos.

Quando os vereadores tomarão partido em benefício dos interesses dos cidadãos e em defesa do patrimônio do Cabo?

Alberto Figueirêdo

Comments
2 Responses to “LIXO – VICINAL-AREAL?”
  1. silvinho disse:

    Amigo Moura, essa área trata-se da comunidade de Gurugi que tem duas ruas pertencentes ao municipio do Cabo de St° Agostinho e as outras ao município de Jaboatão dos Guararapes. Agora a verdade é que 99% dos moradores ainda permanecem sendo eleitor do Cabo de St° Agostinho. Este mapa que você disponibilizou, mostra a rua da estação e rua da matriz, com percurso por trás da antiga SIMISA. Parabéns amigo, você sempre nos informando dos acontecimentos atuais e vindouros em nosso município. Abraço.

  2. Errado!
    Esta foto não mostra diuas ruas por trás da SIMISA, esta foto mostra parte da Rua da Matriz, o Clégio Conde da Boa Vista e as Ruas do Areal, todas são Pontezinha e não estão no Gurigí, desculpe Silvinho, a foto para localização foi feita por mim e acho que conheço tanto Pontezinha quanto você.
    Alberto Figueiredo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: