Protagonismo Juvenil, uma panacéia delirante?

Protagonismo Juvenil, uma panacéia delirante?

Por: Jairo Lima

Protagonista: É aquele ou aquela que protagoniza. A palavra protagonista vem do grego Protagonistés. O principal lutador. A personagem principal de uma peça dramática, pessoa que desempenha ou ocupa o primeiro lugar em um acontecimento.

Pois bem, trago esse termo à baila porque, dez em cada dez dirigentes de Ongs se apropriaram dele para se referirem as ações sócio-educativas para a juventude, daí o chamado Protagonismo Juvenil virou moda e, “promover os jovens através de uma participação construtiva, envolvendo-os com as questões da própria adolescência/juventude, assim como,com as questões sociais do mundo, da comunidade, pensando global e atuando localmente”, virou retórica certa na introdução de projetos e discursos, ficando assim mais alegórico e tecnicamente elegante se referir às oportunidades que merecem as gerações futuras.

Acontece que em nome do propalado protagonismo se gasta milhões, e de dólares ainda por cima. Países ricos patrocinando projetos para ao final de cada um se deleitarem assistindo espetáculos exóticos tupiniquins. De preferência crianças faveladas tocando percussão com lata, expondo trabalhos com materiais reciclados ou dançando e cantando algo como o hip-hop. Salvo alguns poucos projetos, o que se faz pouco contribui efetivamente para a juventude mais carente possuir plena capacidade para construir suas vidas com dignidade.

Dissonantes da real e mais premente necessidade, o que se apresenta para a juventude tá na contramão do nosso contexto social que clama por outras ações, digamos, mais libertadoras, pois nenhuma contribuição eficaz traz para uma formação cidadã alforriada.  Protagonizar vira verbo sem conjugação, quando um ser não é de fato emancipado. Mas mesmo assim se pega um desses projetos, dá-se um verniz midiático e lá estão os heróis juvenis como exemplo de vitória social, se apresentando em palcos de países europeus. E o pior de tudo, alimentando uma falsa expectativa de que a mesma janela se abrirá para todos. E de cá ficamos muitas vezes aplaudindo, achando a melhor coisa do mundo.

Tá na hora de pensarmos como o próprio Chê Guevara: O alicerce fundamental da nossa obra é a juventude. Que tal menos pirotecnia e mais ousadia? Por exemplo, elaboração de leis que criem parcerias com micros e pequenas empresas para qualificar nossa juventude? Estaríamos não apenas colaborando de fato com a promoção do chamado Protagonismo Juvenil, assim como também estaríamos contribuindo para o crescimento dos nossos milhares de empreendedores, força motriz que impulsiona a economia nacional.

Jovens aprendendo uma profissão de gráfico, designer, metalúrgico, ceramista, soldador, mecânico industrial, eletricista, enfim, uma profissão que os tornem homens com futuro certo, surfando na onda do desenvolvimento da região, e com acesso a uma educação de qualidade, que se contraponha a esse atual modelo que os considera meros números estatísticos, que possam ficar longe do crack e constituam famílias sadias, ajudando a promover nosso país lá fora, impondo respeito com a força individual e coletiva que uma dignidade preservada impõe.

Jairo Lima é pós-graduando(?) em gestão pública e membro da Academia Cabense de Letras

Comments
One Response to “Protagonismo Juvenil, uma panacéia delirante?”
  1. Luzinete Silva de Souza disse:

    Será que no blogue da minha amiga ana selma ainda vamos encontrar assuntos como esses?

    Anistiados realizam Assembléia

    A sede do Sintrac foi palco nesta segunda-feira,10, para mais uma Assembléia dos Anistiados ( grupo de servidores demitidos em 1993 pelo Ex-prefeito Jacó Gomes, tendo como motivação a perseguição política).

    O encontro foi bastante representativo e contou com a participação de Presidente da Câmara Gessé Valério, do Vereador Manoel Carlos e da Vereadora Ana Selma. A assembléia marcou a retomada da luta dos anistiados que voltando ao serviço público em 2004 ainda não tiveram seus direitos plenamente reconhecidos e vêm recebendo, por parte do atual governo, toda sorte de discriminação.

    Ao final, a Assembléia, coordenada pelo Presidente do Sintrac Isaías Moura, deliberou por um grupo de trabalho, incluindo os Vereadores, para retomada das negociações junto ao Executivo e análise dos procedimentos judiciais em curso. Na ocasião o Presidente da Câmara disse que se empenhará na causa para reparar em definitivo a injustiça cometida em 1993.

    postado por Ana Selma dos Santos às 11:14 PM | 0 Comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: