Na esteira do ‘crescimento’ do Cabo de Santo Agostinho uma nova ”Chernobyl”?

Na esteira do ‘crescimento’

do Cabo de Santo Agostinho

uma nova ”Chernobyl”?

Por: Antonio Paiva

A usina de processamento e incineração do Lixo, teoricamente aquele que será produzido apenas pelas cidades de Recife e Cabo – o que já não seria pouco – é a mais terrível ameaça que paira sobre a consciência ambientalista dos que militam nos movimentos sociais de lutas no Cabo de Santo Agostinho e de seguimentos políticos não alinhados com o atual governo. Na prática, como matéria prima, o lixo do Estado lhe bastará.

Está claro que, como um autêntico presente de grego para a população do Cabo, ela vem sendo ofertada, de forma discreta, ou, melhor dizendo, dissimulada, por aquele que já deveria haver tido a atitude firme de rechaçar esta lúgubre idéia de comprometer ainda mais o nosso meio ambiente, o Prefeito Lula Cabral. Isso…, admitindo-se, para efeito de raciocínio, a idéia de que tais estímulos para a implantação da malsinada usina, tenha partido do Governador Eduardo Campos, seu aliado político, acorrendo aos interesses da prefeitura da cidade do Recife, legada a João da Costa pelo ex Prefeito e candidato a Dep. Federal, João Paulo, senão dele próprio… Ou, de todos juntos. Até mesmo porque, comenta-se que este Grupo nasceu daquela empresa encarregada da limpeza pública de Recife, na gestão passada, e que foi afastada pela atual, por indícios de superfaturamento, etc.

Comparecemos ao que deveria ser uma reunião formal do Conselho de Meio Ambiente que, por falta de quorum, não o foi, mesmo frente a esta temática; As contradições resultaram claras, diante das assertivas de Moura, presidente do P-SOL/CABO, e do Vereador Ricardinho: ouvimos da Dra. Berenice, Secretária de Meio Ambiente do Município, inclusive, a confirmação do que já fora por ela veiculado através de programação da Rádio Calhetas FM, dando conta de que a Secretaria de Planejamento, já teria dado a sua anuência ao projeto, no que toca à ocupação do solo urbano pela indigitada empresa.  Moura, por sua vez, foi enfático ao declarar que ouviu, de viva voz, do Prefeito Lula Cabral, que mesmo que a nível de qualquer Secretaria fosse autorizado, ele seria contrário à sua instalação nas nossas cercanias; o Vereador Ricardinho, lembrou à Secretária de Meio Ambiente que a gestora da pasta naquela ocasião teria apresentado o projeto da Usina de Lixo na rádio, com indisfarçável proselitismo. Isto foi de pronto, por ela, negado… No mais, a despeito da ausência expressiva do pessoal do Conselho, para honrar a massiva presença das mais variadas lideranças, deliberou-se em promover a reunião. Porém…

Porém, não desencorajado, o Grupo, com suposta preocupação ambientalista com os tradicionais aterros sanitários de onde emanam significativas quantidades de gás metano, responsável maior pelo rompimento da camada de ozônio, contrata laboratório para ancorar seu projeto no EIA por ele elaborado (Estudo Prévio de Impacto Ambiental). Vai à CPRH (Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos); é a mesma agência que elaborou o RIMA (relatório de Impacto Ambiental) que embasou Licenciamentos Ambientais para o mega projeto Praia do Paiva, possibilitando ainda, o aporte vultosos recursos público para saciedade da avidez de lucros da indústria hoteleira, quando praticamente privatizaram aquelas praias. Basta-nos ver a tabela dos pedágios cobrados segundo a natureza e o porte do meio de transporte; nem bicicleta escapa. Não obstante a grita geral da população, através do Conselho de Moradores de Pontezinha e de Associações como Mangue Ferido. Coincidentemente, arrastaram daqui para Jaboatão a audiência pública, como forma de afastar o povo da discussão de todos os aspectos do gravame causado em toda sua extensão.

Ali, foram, e ainda serão sacrificadas extensas áreas de manguezais, verdadeiros berçários da reprodução de varias espécimes da vida marinha, componentes de sua cadeia alimentar e da ocupação e meio de vida de incontáveis pescadores. Por sobre manguezais foram erguidas ponte e estradas. Por conseguinte, não está descartada a reprodução de manobra semelhante para empurrar-nos, goela a dentro, esta verdadeira “Chernobyl”, apesar da ‘solene’ promessa daquele que se anunciou para nós como, apenas, o seu engenheiro de produção, e capaz de domesticar o metano em compartimentos ditos estanques, além de dioxinas e furanos, que serão “habilmente manipulados”. Disse…

Mas o crucial mesmo, é que, de quem já poderia ter partido o rechaço de forma cabal e ‘Cabralmente’, era do Prefeito. Bastaria que quisesse ser, de fato, além de gestor dos negócios no Município, um autêntico líder da população desta cidade, mostrando-se capaz de encabeçar, ele próprio, uma campanha e mobilização junto aos movimentos sociais conseqüentes, mesmo contra eventuais interesses de João Paulo, amigo do pessoal da coleta de lixo e da tal Usina, do Governador Eduardo Campos e de quem quer que fosse, para anular a menor possibilidade de sua instalação.  Enquanto o mundo busca obstinadamente energia limpa, aqui, Lula Cabral, por razões estranhas, muito estranhas, estranhíssimas, oferta à população esta deletéria e letal matriz energética. Mesmo que aquela argüida capacidade de fornecimento de energia para até 100.000 residências fosse para fornecimento gratuito às nossas populações carentes, mais a migalha da doação de parte dos resíduos para “adubo” e os parcos empregos gerados pudessem ser efetivos, na relação custo/ benefício, ainda assim, estaríamos em fraca desvantagem. É a nossa saúde que periclita.

Mas, infelizmente, parece, pelo andar da carruagem, que a população do Cabo de Santo Agostinho continua órfã de Governo, e, a depender, unicamente, de sua capacidade de mobilização e de luta. A Secretária de Meio Ambiente afirma categoricamente que o pessoal do planejamento já anuiu, o Lula cá fala que não sabia… Sem dúvida, ele deve ter sido acometido da síndrome do “eu não sabia”, do Lula lá. Isso… É muito suspeito!

Enfim, somente a mobilização do nosso povo será capaz de deter tamanha ameaça sobre a nossa saúde, a saúde de nossos filhos e netos, sobre as nossas vidas. Dia 30/06/2010, todos na Câmara de Vereadores!

ANTÔNIO PAIVA é membro da Executiva/PE, e Secretário Municipal do P-SOL/CABO.

Comments
2 Responses to “Na esteira do ‘crescimento’ do Cabo de Santo Agostinho uma nova ”Chernobyl”?”
  1. CHICO DA CHARNECA disse:

    PARA CHERNOBYL, SÓ FALTA MESMO O VAZAMENTO,
    POIS A MISÉRIA DO POVO CABENSE,
    JÁ ACONTECEU A QUASE 6 ANOS PASSADOS, QUANDO UMA PARTE DA POPULAÇÃO DESTE MUNICIPIO,
    VOTOU EM LULA CABRAL, ELEGENDOU PREFEITO,
    ESTE ANO, É ANO DE ELEIÇÃO,
    PODEMOS DIZER NÃO AOS CANDIDATOS REPRESENTADOS PELO PREFEITO.

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] This post was mentioned on Twitter by Helen Monte and Rivadayne Tarsis , Portal Cabo. Portal Cabo said: Na esteira do ‘crescimento’ do Cabo de Santo Agostinho uma nova ”Chernobyl”? http://bit.ly/bC4IhC […]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: